.

.

lunes, 14 de agosto de 2017

Programa de Governo da UNITA Apresentado

Fonte :KUP
Programa de governo da UNITA apresentado aos eleitores do Mbanza Kongo e Kuimba
PR BK 1.jpg
No seu primeiro dia de campanha eleitoral no Zaire, o Candidato da UNITA, Isaías Samakuva cumpriu uma intensa agenda de actividades, que vão desde contacto com os quadros e militantes do seu partido, com eleitores em geral e com as autoridades tradicionais.

O ponto mais alto da jornada deste domingo na província do Zaire, foi a realização de actos de massas nas sedes municipais de Mbanza Kongo e Kuimba.

Aos eleitores dos dois municipios, o líder da UNITA apresentou o programa de governo da UNITA. Criticou o estado actual dos sectores de educação, de saúde, nos quais o Governo Inclusivo e Prticipativo orientado pela UNITA propõe imprimir uma grande revolução, invertendo as debilidades actuais e proporcionando assistencia médica e medicamentosa às populações que nos dias de hoje recorrem a República democrática do Congo para se tratar.

Além das melhorias que pretende implementar, nos sectores da educação e da saúde, Isaías Samakuva promete criar postos de emprego para a força económica activa, garantir a fornceimento de água potável e energia electrica, bem assegurar que os trabalhadores tenham segurança social, de entre várias outras propostas.

O líder da UNITA é esperado esta segunda-feira no municipio do Soyo.
www.unitaangola.org

Samakuva Apela ao Voto dos Ex-militares

Fonte :KUP
Presidente Samakuva apela ao voto dos Ex-militares para mudança
Ex_Militares Angola.JPG
O Governo Inclusivo e Participativo vai dedicar-se à melhoria das condições de vida dos ex-militares das FAPLA, do ELNA e das FALA, como reconhecimento e dignificação de todos os que combateram para a liberdade, paz e democracia em Angola.

A garantia foi feita pelo Candidato da UNITA a Presidente da República, Dr. Isaías Samakuva, quando falava para os ex-militares dos antigos braços armados da FNLA, do MPLA e da UNITA, que estiveram reunidos este sábado, no Complexo Sovsmo.

Antes do pronunciamento do Candidato Isaías Samakuva, os Generais João Kalemba do (ELNA), Manuel da Fonseca (ELNA), Silva Mateus (FAPLA), José Fragoso (FAPLA) e Demóstenes Chilingutila (FALA), falaram das circunstâncias difíceis e de muita pobreza por que passam os ex-militares dos três antigos exércitos.

As dificuldades vão desde a não inserção na Caixa de Segurança Social das Forças Armadas Angolanas (FAA), passando pelo abandono, até à exclusão, por parte das Instituições vocacionadas à resolução dos problemas dos antigos combatentes.

Depois de ouvir atentamente as declarações dos representantes dos ex-militares, o Candidato número 1 manifestou a sua solidariedade para com todos os que serviram nas fileiras dos três históricos movimentos de libertação de Angola e assegurou que, o seu partido defende o reconhecimento e a dignificação dos ex-militares, através da criação de condições e de facilidades diversas, com vista o emponderamento dos membros da classe.

Para Isaías Samakuva é responsabilidade do Estado velar pela vida dos que lutaram por Angola e das suas famílias.

O Líder da UNITA apelou à unidade entre os angolanos neste momento histórico que o país atravessa, com o objectivo da conquista do bem comum à exemplo dos precursores do nacionalismo angolano.

“Os angolanos precisam de estar unidos, não pode ser amanhã, tem de ser hoje e agora. Podemos estar todos juntos, falar a mesma linguagem, olhando para os mesmos objectivos e para o futuro do nosso país”, disse o Presidente Samakuva referindo-se ao encontro que reuniu ex-militares de diferentes convicções políticas.

O Candidato número 1 desmentiu na altura os rumores que circulam, que atribuem à UNITA um suposto retorno à guerra.

“Se alguém quer fazer guerra, deve ir fazê-la sozinho, lá longe na sua terra. Os angolanos querem paz”, acrescentou.

Isaías Samakuva desmentiu ainda outros rumores que falam dos despedimentos dos funcionários públicos pela UNITA, considerando isso uma falácia que visa intimidar eleitores.

“É mentira. A UNITA quando for governo não vai despedir ninguém. Os actuais quadros no governo do MPLA continuarão nos seus postos, são quadros do país. Não serão despedidos”.

De acordo com Isaías Samakuva, os actuais inimigos de Angola e dos angolanos são o paludismo, a falta de água, a falta de medicamentos nos hospitais, a febre amarela, a má governação, a corrupção.

No final apelou ao voto no número 1 para se concretizar a mudança da situação em Angola.

Reunião com Ex-Militares

Fonte :KUP
Candidato da UNITA reúne-se com ex-militares e antigos combatentes
PR Samakuva 2.jpg
O Candidato da UNITA a Presidente da República, Isaías Samakuva que já encontra em Luanda, depois de percorrer as províncias do Kwanza Norte, Malanje, Lundas Norte e Sul e Moxico, reúne-se este sábado 12 de Agosto de 2017, com ex-militares, antigos combatentes da FNLA, do MPLA e da UNITA, no Complexo Sovsmo, em Viana.

Na convocatória feita pelo Coordenador da Comissão de Ex-Militares Angolanos, Silva Mateus, são convidados a vir ouvir as propostas de Isaías Samakuva todos os ex-militares das exitintas FAPLA, FALA, ELNA. ex-comandos Tigres, ex-militares do 27 de Maio de 1977, membros da ex-ODP, ex-SINFO e ex-BPVs.

De salientar que depois do acto político com essa franja da sociedade angolana, o Candidato desloca-se à Província do Zaire para mais uma etapa de campanha eleitoral, com vista as eleições de 23 de Agosto.

viernes, 11 de agosto de 2017

Imprensa Publica Manipula

Fonte :KUP
Imprensa pública manipula o caso do militante da UNITA desaparecido
Intolerância Luanda.jpg
Joaquim Nafoia que coordena a Campanha eleitoral da UNITA na Lunda Norte desmentiu esta quinta-feira, a informação sobre o reaparecimento do Militante da UNITA, supostamente assassinado e seu corpo atirado aos rio Cuango.

O coordenador eleitoral da UNITA apontou que a imprensa pública tentou manipular a população (sobre o membro do seu partido raptado, torturado, no dia 22 de Julho, morto e atirado no Cuango, num lugar de jacaré), sublinhando, que a imagem apresentada pela Televisão Pública de Angola, não é do militante do seu partido, mas de um individuo do MPLA.

“Toda imprensa pública tentou passar a ideia de que o companheiro do Partido UNITA, Adelino João Kassoma, que foi raptado, morto e atirado no rio Cuango, na Comuna do Luremo, no dia 22, a imprensa pública tentou manipular a população de que o senhor vive. Aquele senhor que foi apresentado não é Adelino João Kassoma”.

Joaquim Nafoia sublinhou que, devido a pressão que «os membros do partido no poder» estavam a sofrer, foram obrigados a arranjar aquilo que se chama “uma pessoa descartável”, assegurando na ocasião que, o homem apresentado esta quarta-feira é um militante do MPLA.

“Aquele senhor que foi apresentado ontem é um militante do MPLA, que eles prepararam durante os dias, devido a pressão que estavam a sofrer. Foram obrigados a arranjar aquilo que se chama “uma pessoa descartável”, um militante deles, preparado é que apresentaram ontem como se fosse Adelino João Kassoma. Não é verdade. Portanto, era para desmentir isto. Para tranquilizar a população, que nós não mentimos”.

Joquim Nafoia acrescentou que, se fosse verdade, os dirigentes do MPLA na localidade, teriam chamado os responsáveis da UNITA no terreno.

“Porque, até porque se fosse verdade, eles deviam nos chamar. Nós estamos aqui no terreno. Nós conversamos com a administradora municipal, nós conversamos com o Comando Municipal da Polícia, nós conversamos com todos. Nós apresentamos uma queixa. Ora, se o homem foi encontrado, a primeira coisa que deviam fazer era nos chamar para nos apresentar o homem”.

Joaquim Nafoia assegura que, a viúva do membro da UNITA foi manipulada pelos jornalistas da Televisão Pública de Angola e dirigentes do MPLA. De acordo com o responsável eleitoral da UNITA, nesta província, dia anterior a senhora veio a delegação da UNITA, “quando lhe perguntamos se já tinha visto o marido, disse que não”.

“A senhora é mesmo aquela que apareceu, mas foi trabalhada, foi manipulada. Porque ontem mesmo ela veio na nossa delegação. E, quando lhe perguntamos se já tinha visto o marido disse que não. O que é que a TPA fez? Manipularam a senhora, conversaram com ela de lado, depois foram entrevistar, gravaram a imagem do homem do MPLA, que aprece como militante da UNITA. Depois juntaram as imagens como se estivessem juntos. Porque ontem mesmo disse que, não”.
www.unitaangola.org

Transferência de Eleitores

Fonte :Unitaangola
Transferência de eleitores configura reedição dos problemas de 2012
Nhany_11_08_2017.jpg
Transferência de eleitores configura reedição dos problemas de 2012
Estes assuntos dominaram a Conferência de Imprensa orientada esta sexta-feira 11 de Agosto de 2017, pelo Secretário da Presidência para os Assuntos Eleitorais, Vitorino Nhany.

Falando de transferência de eleitores, o político apresenta exemplos da província de Benguela em que eleitores da sede de Caimbambo que foram transferidos para a comuna de Kanhamela, a 60 quilómetros, os da Comuna de Kanhamela foram transferidos para a aldeia Luwe que 60 quilómetros, os da aldeia Luwe, eleitores há que foram transferidos para a aldeia Ndimba a 5,5 quilómetros.

De Luanda aponta nomes de eleitores que foram transferidos para muito distante das suas áreas de residência.

São os casos dos cidadãos Manuel Nvovi residente no Bairro Operário onde votou em 2008 e 2012 que foi transferido para Noqui Província do Zaire, Simão António, cartão nº 9542 e grupo 66336 de Cacuaco para Escola 8 de Janeiro “João Firmino Chinanga” Tombwa – Namibe -mesa nº 4, Armando Pongolola Chipenda, residente em Viana, cartão nº 11947 e grupo 1160, transferido para Buçaco-Ganda, Província de Benguela, mesa nº 1, Frederico Epalanga Kassoma, residente na Vila Nova ( Boa Fé) em Viana, eleitor registado sob o nº 27 988 grupo 313000, actualizou o registo para votar na sua área mas foi transferido para Benguela, Afonso Damião Dunduma, residente no Bairro Boa Fé- Viana, cartão nº 190070 e grupo 60090, foi transferido para Menongue, Escola Primária da Paz nº 135, Av 10516, Manuel Luís da Silva actualizou o seu registo para votar no Colégio Magnólia-Zango II, o seu nome não consta de nenhuma lista.

Vitorino Nhany avança que de todos os cantos do país chegam revelações graves desses factos que configuram violação autêntica ao direito dos cidadãos.

Na província da Lunda, informa, os eleitores eleitores do município de Mucanda foram transferidos para a comuna Xiluanje, que fica a sensivelmente 200 quilómetros.
A UNITA afirma que tinha razão quando levantava dúvidas sobre “a seriedade e honestidade do MAT, por ser parte interessada e porque já em 2012 protagonizou a viciação que redundou em maioria qualificada, atribuída ao MPLA.

Vitorino Nhany recorda que em 2012 cerca de 2.314.841 eleitores foram deliberadamente transferidos para províncias e localidades não solicitadas pelos mesmos, contribuindo para uma abstenção na ordem dos 37%!

“Durante o acto de actualização de dados, a UNITA foi recordando tais acontecimentos e solicitou a correcção dos erros do passado, o MAT foi fazendo ouvidos de mercador, nunca respondeu aos ofícios e cartas endereçadas para em conjunto contribuirmos para a transparência e lisura do processo”, afirmou o dirigente da UNITA, revelando que o seu partido detectou três aspectos preocupantes que indiciavam fraude eleitoral, nomeadamente não partilha de dados entre brigadistas e fiscais de Partidos Políticos, duplos registos e recolha coerciva de cartões de eleitor.

www.unitaangola.org

UNITA Aborda Riscos que Ameaçam Processo Eleitoral

Fonte :KUP
UNITA aborda riscos que ameaçam processo eleitoral
Voto-750x400 10-08-2017.png
Tal como previu a UNITA, há alguns meses atrás, a contratação da SINFIC pela CNE volta a criar perturbações ao processo eleitoral de 2017.

Erros no mapeamento das assembleias de voto, deslocamento de eleitores para assembleias de voto distantes voltam a surgir, com risco de provocar elevados níveis de abstenção involuntária nas eleições de 23 de Agosto.

Para partilhar com os angolanos a sua visão sobre os perigos que ensombram o processo, a UNITA convocou uma conferencia de imprensa para esta sexta-feira, que será orientada pelo seu Secretário para os assuntos eleitorais, Vitorino Nhany.

jueves, 10 de agosto de 2017

Declinado Convite da TPA

Fonte :KUP
Declinado o convite da TPA para entrevista a Samakuva
Katepa-1-750x430 09-08-2017 Samakuva.jpg
A UNITA declinou ao convite da TPA que pretendia entrevistar o seu Presidente, Isaías Samakuva, na senda de entrevistas que a televisão estatal vai mantendo com os cabeças de lista.

Numa nota de “recusa” enviada nesta quarta-feira, 09, à Direcção do Conselho de Administração da Televisão Pública de Angola (TPA), datada de 08 de Agosto de 2017, assinada pelo seu mandatário Estêvão José Pedro Katchiungo descreve que “é de interesse público o debate proposto pelo candidato Isaías Samakuva ao candidato João Lourenço”.

O documento reitera a disponibilidade do candidato número-1 no boletim de voto para tal debate numa data a acordar.

“Mas consideramos não ser de interesse público o expediente alternativo das entrevistas individuais, organizadas por V/exas, pelo que, declinamos o convite que nos foi formulado para uma entrevista ao candidato da UNITA para o próximo dia 14 de Agosto”, lê-se na nota de “recusa”.

Na mesma nota, o partido do Galo Negro sustenta que com o aproximar das eleições gerais em Angola, a Televisão Pública de Angola “converteu-se numa autêntica máquina de propaganda político-partidária que utiliza o património público e os seus espaços privilegiados para publicitar a plataforma político-eleitoral do partido MPLA e do seu cabeça de lista”.

Peritos da UE com a UNITA

Fonte :KUP
Missão de peritos da UE reúne-se com a UNITA
Missão-UE-Angola 09-08-2017.jpg
Uma delegação da UNITA reuniu-se esta quarta-feira, 9 de Agosto de 2017, com a missão de peritos da União Europeia que se está em Luanda no quadro das eleições gerais de 23 do mês em curso.

Chefiada pelo seu Vice-presidente, Raúl Manuel Danda, a delegação da UNITA apresentou à missão da UE inquietações que se prendem com o andamento do processo eleitoral.

“Estivemos a trocar impressões sobre aquilo que são os nossos pontos de vista em relação a forma como a Comissão Nacional Eleitoral (CNE) insiste em querer fazer a transmissão dos resultados, onde se se confunde a transmissão com a transportação dos resultados, estivemos também a dizer quais são os desafios que a UNITA tem pela frente da forma inquinada como anda este processo”, confirmou o número dois da hierarquia da UNITA, aos jornalistas, no final do encontro com a missão de peritos da União Europeia.

Segundo Raúl Danda, o seu partido gostaria de ter em Angola uma missão de observadores.

Falando aos jornalistas, o Vice-presidente da UNITA revelou que o seu partido gostaria de ter no país uma missão de observação eleitoral .

”Se tivéssemos aqui uma missão de observação eleitoral, tal como a UNITA queria, nós podíamos, de facto, ter observadores a verem como é que o processo está decorrer, essa corrupção eleitoral que tem estado a ser feita pelo MPLA e pelo seu candidato, a forma como as pessoas são transportadas como animais para encher os comícios, com fins de justificar algum resultado, como é que as pessoas estão a ser coagidas a irem para os comícios”, adiantou o político, sublinhando que “uma observação eleitoral não se pode cingir apenas no acto de votação, tem sempre aquilo que vem antes, durante a votação e aquilo que vem depois”.

O Vice-presidente da UNITA denunciou ainda a Comissão Nacional Eleitoral de pretender inventar procedimentos que não são previstos na lei, como o porte de telefones pelos delegados de lista.

“Não conseguimos entender por que é que a CNE anda a inventar alguma coisa que não está na lei, proibindo delegados de lista a terem telefones nas assembleias de votos, não faz sentido nenhum. Vamos esperar que o bom senso prevaleça e a CNE deixe de fazer essas tropelias que só prejudicam o processo”, disse.

A delegação da UNITA aproveitou o ensejo para proceder a entrega do seu Memorando sobre o Processo Eleitoral à missão da União Europeia.

O Vice-presidente da UNITA anunciou a realização na quinta-feira, 10 de Agosto, de um encontro do género com a missão de observação da SADC, que também se encontra em Luanda, no âmbito das eleições gerais de 23 de Agosto.
www.unitaangola.org

Samakuva Desmente Rumores

Fonte :KUP
Samakuva desmente rumores sobre despedimentos de funcionários e guerra
Comício-Malanje-26-750x430.jpg
No prosseguimento da sua campanha eleitoral, o Presidente da UNITA trabalhou esta quarta-feira, 9 de Agosto de 2017, na sede municipal de Dala na Lunda Sul.

No seu discurso proferido para grande moldura humana, o Presidente da UNITA, Isaías Samakuva, exortou a população desta parcela do país a votar no número 1, tendo mostrado ilustrado a forma correcta de votar no seu partido, na posição número 1 do boletim de voto.

O líder da maior força política na oposição em Angola, demonstrou que, os medicamentos, mesmo quando aparecem vão parar nas casas de particulares, apontando que, os dirigentes do partido no poder não fizeram aquilo que tinham prometido.

Apelou a população daquela municipalidade da Lunda-Sul e os angolanos no geral, para no dia 23 de Agosto votarem na UNITA, incentivando todos os membros, militantes, simpatizantes e amigos do seu partido a trabalharem intensamente, ensinando a todos eleitores a forma como devem votar.

O responsável da segunda maior força política do país, constatou grande sofrimento do povo em todas as províncias.

“Nós queremos que o país mude, o povo em toda Angola, está-nos a dizer que há muito sofrimento”, afirmou sublinhando que votando na UNITA o sofrimento acaba e a vida de todos angolanos melhora.

“A UNITA vai mesmo mudar a vossa vida, o emprego vai aparecer, os medicamentos vão aparecer. Nós cumprimentos com aquilo que nós prometemos”, assegurou Isaías Samakuva.

Na ocasião disse que, “há muita riqueza que pode servir os filhos daqui da terra”, encorajando a população da Lunda-Sul, a terem coragem de mudar a actual situação do país, do mesmo modo como os nossos antepassados tiveram coragem de pegar em armas e libertar-se do colono.

“Nós temos de ter também coragem”, exortou, reforçando a mensagem de que a UNITA não vai despedir funcionários públicos e desmentiu rumores que circulam de que haverá guerra, caso a UNITA ganhe as eleições de 23 de Agosto.

“Ninguém vai fazer guerra, ninguém vai tirar ninguém do trabalho”, reafirmando o convite de todo povo votar na UNITA para a salvação de todos os angolanos.

“O voto é no número? Todos mesmo, todos, número 1 é a nossa salvação”.
www.unitaangola.org